Fábrica de colchões fica destruída após ser atingida por incêndio em Cruz das Almas

Uma fábrica de colchões ficou totalmente destruída após ser atingida por um incêndio em Cruz das Almas, no recôncavo baiano, na noite de sábado (19). Apesar do susto e dos prejuízos, ninguém ficou ferido, de acordo com a prefeitura municipal.

A empresa Malu Estofados, que fica no bairro Ana Lúcia, teve a estrutura completamente danificada pelas chamas, que se espalharam rapidamente por causa da presença de materiais inflamáveis.

Segundo moradores, o fogo foi controlado por equipes do Corpo de Bombeiros, com auxílio de um caminhão-pipa. A reportagem tentou contato com a assessoria da corporação para obter mais detalhes sobre o incêndio, porém, não obteve êxito até a publicação desta matéria.

De acordo com a prefeitura de Cruz das Almas, não houve vítimas, apesar dos danos. Até o momento ainda não se sabe o que provocou o incêndio. Ainda conforme a prefeitura, a fábrica tinha alvará de funcionamento e não apresentava nenhuma irregularidade junto ao poder público.

Fábrica de estofados pegou fogo em Cruz das Almas  — Foto: Reprodução/Cruz das Almas News

Fotos: Reprodução/Cruz das Almas News

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Mulher morre e homem fica ferido em acidente na BA-120, na região nordeste da Bahia

Foto: Raimundo Mascarenhas/Calila Notícias

Uma mulher morreu e um homem ficou ferido após se envolverem em um acidente no sábado (19), na BA-120, em Santaluz, no nordeste da Bahia. A motocicleta em que eles estavam caiu em uma ribanceira. As informações são da Polícia Militar.

A vítima fatal foi identificada como Sirleide Costa da Silva. Ela tinha 43 anos e estava na garupa da moto, que caiu em uma ribanceira após o condutor perder o controle da direção em uma curva, no trecho urbano da rodovia.

Sirleide chegou a ser socorrida para o Hospital Municipal de Santaluz, mas não resistiu aos ferimentos. O condutor da moto, identificado como Deusdete da Silva, de 54 anos, sofreu ferimentos leves e também foi encaminhado à mesma unidade de saúde, mas não há detalhes sobre o estado de saúde dele. Fonte: G1/Bahia

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Rui faz apelo aos baianos para evitarem aglomerações durante os festejos juninos

Foto: Frame

Neste sábado (19), em visita a Amargosa, uma das cidades-símbolo do São João da Bahia, o governador apelou à população para evitar aglomerações durante os festejos juninos. Rui esteve no município para entrega de obras e ressaltou a necessidade de reforçar as medidas de prevenção à disseminação do coronavírus. “Quero aqui fazer ao apelo não só ao povo de Amargosa, mas a toda à região e a todos baianos. Estamos insistindo nessa tecla, pela preocupação com o aumento dos casos de Covid-19. Não queremos impedir a tradição, mas precisamos nos cuidar agora e evitar o pior depois”, disse o governador.

Rui destacou que a situação da pandemia poderia ser muito diferente no país se não fosse a lentidão da vacina. “Hoje, já era para 70% do povo brasileiro já estar vacinado. Infelizmente, o presidente não comprou vacina no ano passado, quando os laboratórios ofereceram. Como a CPI está mostrando, teve laboratório que ofereceu ao Brasil vacina pela metade do preço e mesmo assim o presidente não comprou”.

Ele lembrou que, graças aos avanços na vacinação, na Europa, por exemplo está havendo jogos com público nos estádios, enquanto o Brasil se aproxima de uma terceira onda da doença. “Meu apelo é que, mesmo mantendo a tradição cultural do São João, evitem a qualquer custo as aglomerações”, enfatizou o governador, sugerindo que as pessoas façam suas comemorações dentro do grupo familiar com que convivem.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Brasil chega a 500 mil mortes por Covid

O Brasil chega à marca de meio milhão de mortos pela Covid-19 neste sábado (19), segundo registros oficiais das secretarias de Saúde dos estados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. O número real, porém, deve ser ainda maior, já que nem todos os infectados fazem o exame para detectar a presença do coronavírus.

Às 20h deste sábado, o país contou 2.247 mortes e 78.869 novos casos da doença nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 500.868, e o de casos, para 17.881.045.

Com isso, o Brasil torna-se o segundo país a ultrapassar os 500 mil mortos. Antes dele, os Estados Unidos superaram essa cifra e, no dia 15 de junho, passaram de 600 mil óbitos. A diferença é que, por lá, mais de 148 milhões de norte-americanos (45% da população) estão totalmente imunizados; por aqui, são 24.243.552 milhões de brasileiros (11,45% da população) que já tomaram as duas doses.

Com vacinação ainda lenta, o vírus se alastra por todas as regiões do Brasil. Na última semana, houve média de cerca de 2.000 mortos por dia pelo coronavírus Sars-CoV-2. A média diária de novos casos está em torno de 70 mil, o que deixa o atual momento entre os piores da pandemia.

Desde o primeiro registro da doença no país, em fevereiro de 2020, mais de 17,8 milhões de pessoas já foram infectadas pelo Sars-CoV-2 no Brasil —número que provavelmente também está subdimensionado.

Os dados comparativos mostram que as autoridades brasileiras erraram na condução do país em meio à pandemia. Quando se considera a taxa de mortos por 100 mil habitantes, por exemplo, o Brasil é o 9º país com mais óbitos, ostentando 235 mortes/100 mil habitantes. Apenas países de população bem menor estão à sua frente.

Entre as maiores economias do mundo, o Brasil é o país que acumula mais mortes por 100 mil habitantes.

Apesar de todas as evidências científicas disponíveis, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mantém o negacionismo que expressou desde o primeiro momento. Ele já subestimou o perigo que a doença representa quando a chamou de gripezinha, lançou desconfiança sobre as vacinas que comprovadamente podem diminuir os riscos de morte e não segue as medidas de proteção contra o vírus, como uso de máscara e distanciamento social.

Pressionado pelo número elevado de mortes, Bolsonaro até apareceu em rede nacional para celebrar a distribuição de 100 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aos estados e municípios, mas ao mesmo tempo não dá sinais de que ele mesmo deve se vacinar. Outros líderes mundiais tomaram a injeção no braço em público como maneira de estimular a população e dissipar qualquer receio provocado por notícias falsas.

Em suas falas, as imprecisões e as expressões próprias de um movimento político que se opõe à ciência servem para lançar desconfianças infundadas sobre as vacinas e o uso das máscaras, que ele diz ser um símbolo contra a liberdade individual.

Suas crenças se refletiram nas ações do governo federal, que se empenhou mais na defesa e na distribuição de remédios como a hidroxicloroquina, ineficaz contra a Covid, e menos na compra das vacinas.

Mesmo após mais de um ano de realização de estudos científicos padronizados com a hidroxicloroquina e outros medicamentos do chamado “kit Covid” que não encontraram benefícios no uso dos remédios pelos doentes, o presidente segue propagandeando esses medicamentos como a solução.

O resultado: cerca de um quarto da população brasileira fez uso de algum medicamento para tratar precocemente ou prevenir a Covid-19, de acordo com uma pesquisa do Datafolha —entre os que declaram voto em Bolsonaro nas eleições de 2022, o índice sobe para 37%. Mas o tratamento ainda não existe, e os números de mortes ajudam a confirmar isso.

Enquanto isso, a CPI da Covid instalada no Senado expõe a inoperância do governo federal e alimenta críticas às ações das autoridades sanitárias e de Bolsonaro no período. Para agravar o quadro econômico ruim, aumenta também o isolamento do Brasil no cenário internacional, acompanhado de fortes críticas à gestão da crise na saúde.

A comissão parlamentar ajudou a evidenciar a omissão do presidente e de seu ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no colapso de Manaus no começo deste ano, quando hospitais ficaram sem oxigênio para fornecer aos doentes internados.

O comportamento errático do governo também se evidencia nas trocas na pasta mais relevante para o enfrentamento da pandemia. Desde o começo da crise, quatro ministros da Saúde tentaram conduzir a reação do país. Dois deles —Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich— saíram do posto por divergências com Bolsonaro. O terceiro, Pazuello, mais alinhado ao presidente, ficou quase um ano no cargo. Saiu pela má gestão e como um dos investigados na CPI da Covid-19.

Cabe agora ao médico paraibano Marcelo Queiroga, o quarto ministro, conter a múltipla crise. Com discurso mais modulado, ele reafirma seu apreço à ciência, mas está dentro de um governo que, como também mostrou a CPI, ignorou durante meses a oferta de vacinas feita pela Pfizer ainda no ano passado.

E a Pfizer nem foi a única vacina esnobada. Importantes nomes do governo atacaram a Coronavac, por sua origem chinesa. Bolsonaro, Paulo Guedes (ministro da Economia) e Ernesto Araújo (ex-chanceler) fortaleceram esse discurso.

Nas redes sociais, sobretudo entre bolsonaristas, circulam mentiras que afastam a população dos imunizantes. Algumas delas sugerem que as vacinas carregam algum tipo de chip ou que causem efeito magnético. O objetivo é disseminar o pânico e a descrença naquilo que é a melhor ferramenta para combater a pandemia.

As vacinas contra a Covid-19, desenvolvidas em tempo recorde e algumas delas com eficácias extraordinárias, têm seus dados de segurança continuamente revisados por autoridades sanitárias, como a Anvisa. Países que escolheram o caminho da vacinação em massa, como os Estados Unidos e Israel, colhem os bons frutos dos imunizantes agora.

No Brasil, mesmo com uma vacinação abaixo do desejado, os imunizantes já teriam evitado a morte de 43 mil pessoas acima de 70 anos, segundo estudo do Centro de Pesquisas Epidemiológicas da UFPel (Universidade Federal de Pelotas) em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde.

Já o uso de máscara é uma medida simples e barata para conter a disseminação do Sars-CoV-2 e outros vírus respiratórios. Sabiam disso desde o início os médicos e os países asiáticos que melhor lidaram com a pandemia. Elas ainda são necessárias e devem seguir essenciais por um bom tempo no Brasil, onde o vírus tem alta circulação e a vacinação anda lentamente, afirmam os especialistas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aniversário de Amargosa é marcado por inaugurações e novas parcerias com o Governo do Estado

O aniversário de Amargosa foi marcado pela visita do governador Rui Costa (PT), inaugurações e anúncios na manhã deste sábado (19).

Além do Paço Municipal, implantação do Espaço Colaborar – Secti e da Sala Do Empreendedor – Sebrae, passeio na Avenida Dr. Luis Sandes (com ciclovia) e a requalificação do canteiro Central da Rua Benedito Almeida e da Avenida Aloísio Borges, foi inaugurado também, a nova sede da Escola Municipal Rosalina Bittencourt e o Hospital Municipal.

Thank you for watching

Por fim, houve uma coletiva de imprensa com a presença do governador, prefeito, o vice-prefeito Getúlio Sampaio, secretários e vereadores, além de prefeitos de cidades vizinhas.

Júlio Pinheiro iniciou seu discurso citando Valmir Sampaio, ex-prefeito vitimado pela covid-19. O governador Rui Costa, anunciou novos investimentos que serão realizados em parceria com o Governo do Estado, como a segunda etapa de reforma do Mercado Municipal, construção de uma praça em Corta-Mão, modernização do CETEP, o Complexo Educacional Poliesportivo, a ampliação da Ferracini, que irá gerar 400 empregos diretos na cidade e assinou licitações para elaboração de projetos para abastecimento de água e rede de esgoto.

Todas as inaugurações foram restritas ao público e sem grandes cerimoniais. (Amargosa News)

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Itaberaba: Motorista sem CNH oferece R$ 200 para não ser fiscalizado e acaba preso

Foto: Divulgação/ PRF

Um motorista de 42 anos sem habilitação foi flagrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), ofereceu dinheiro para não ser multado, e acabou preso na noite desta sexta-feira (18), na BR 242 em Itaberaba, no território de identidade do Piemonte do Paraguaçu.

De acordo com a PRF, o episódio aconteceu durante fiscalização de rotina no Km 226 da rodovia. O homem dirigia um veículo com placa de Salvador. Durante os procedimentos de abordagem, o motorista do Fiesta relatou que não possuía carteira de habilitação e que o carro estava com o licenciamento atrasado. Foi solicitado que ele apresentasse sua documentação pessoal para uma consulta detalhada nos sistemas da polícia.

Nesse momento, o motorista se dirigiu ao policial e falou: “posso dar R$ 200 para não fazerem nada e me deixarem ir embora com o carro?”. Questionado se estava oferecendo dinheiro para não ser fiscalizado e a resposta foi positiva, ocasião em que o policial deu voz de prisão ao motorista.

Na vistoria pessoal foi encontrada uma pequena porção de maconha no bolso do homem e apreendida a quantia de 900 reais, informou a PRF.

A equipe também encontrou uma CNH com indícios de falsificação. Sobre o documento, o condutor informou que havia comprado a carteira falsa por não ter tempo de adquirir uma CNH seguindo os trâmites legais.

O homem foi conduzido à Delegacia da Polícia Judiciária para lavratura do flagrante e demais procedimentos. O veículo foi recolhido ao pátio da PRF.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Operação policial prende suspeito de homicídio e tráfico de drogas em Casa Nova

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Homem suspeito de integrar facção envolvida com tráfico de drogas e de matar um homem, em abril deste ano, em Casa Nova, norte da Bahia, foi preso neste sábado (19), na mesma cidade.

De acordo com informações da Polícia Civil, o homem foi preso durante a Operação Narcos, deflagrada pela Delegacia Territorial (DT) de Casa Nova, em conjunto com a Polícia Militar (PM).

De acordo com o titular da unidade policial, delegado Arnóbio Dionísio Soares, o suspeito tinha um mandado de prisão temporária contra ele, expedido pela comarca de Casa Nova.

Ainda segundo a Polícia Civil, o suspeito apontado como autor da morte de Alan Denner de Souza Silva, conhecido como “Pato”, ocorrido no dia 13 de abril deste ano, em uma borracharia às margens da BR 235. A motivação do crime está relacionada com o tráfico de drogas.

Ainda segundo o delegado Arnóbio Soares, o homem também é investigado por outros homicídios ocorridos na cidade. “A quadrilha atua aqui no município, em Remanso e na região do Vale do São Francisco”, disse.

Fonte: G1/Bahia

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •