Empréstimo de arma teria motivado chacina em Serra Preta

A não devolução de uma submetralhadora, emprestada por outro grupo de assaltantes, teria motivado a morte das quatro pessoas encontradas mortas, entre elas uma mulher grávida, em uma fazenda na zona rural do Município de Serra Preta, a cerca de 150 quilômetros de Salvador, na quarta-feira (25). Segundo informações do delegado que investiga o caso, João Uzzum, as vítimas estavam em fuga desde sexta-feira (20).

bahia10 (1)

Em contato com o G1, o delegado contou também que o grupo morto já era conhecido por realizar assaltos a estabelecimentos comerciais no munício de Feira de Santana. “Eles estavam sendo procurados porque não devolveram uma submetralhadora que pertencia a outro grupo de assaltantes. A arma deve ter sido utilizada para praticar algum assalto na cidade, a prática era comum pelo grupo”, disse.

Ainda de acordo com o delegado, o líder do grupo, Wagno Bastos, conhecido como Gueguel, já estava sendo procurado pelos assassinos desde o último final de semana. Gueguel teria fugido para a fazenda junto com as outras três vítimas depois que o apartamento onde morava foi incendiado em Feira de santana.

bahia10 (2)

Até a manhã desta quinta-feira (26), não há novas informações sobre o paradeiro do grupo que realizou a chacina.

Caso
Quatro pessoas, entre elas uma mulher grávida, foram encontradas mortas na quarta-feira (25) em uma fazenda localizada na zona rural do município de Serra Preta, a cerca de 150 quilômetros de Salvador. A polícia não tem informações do tempo de gravidez da mulher. As vítimas eram dois homens e duas mulheres.
A suspeita é de que todos foram executados com golpes de facão e faca durante a madrugada de quarta-feira. As vítimas estavam fugindo do grupo rival e foram se esconder na fazenda que está abandonada e pertence a avó de um dos mortos. Os corpos das vítimas foram encaminhados ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) em Feira de Santana. Não há informações sobre o enterro deles. (G1/Bahia)

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *