WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

 



(71) 98769-3230

setembro 2020
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: ‘Cachoeira’

Polícia Rodoviária Federal retira animais soltos na BR-101

(Divulgação/PRF)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) retirou das margens da BR 101, animais de grande porte que circulavam livremente na rodovia. A ação aconteceu no Km 203, trecho das cidades de Cachoeira e São Félix na Pedra do Cavalo.

Segundo a PRF, os animais estavam se alimentando da vegetação que margeia a pista, situação que aumenta a probabilidade de acidentes.

Ainda de acordo com a PRF, os proprietários dos animais podem ser enquadrados no artigo 132 do Código Penal, que trata sobre expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e eminente, bem como no artigo 31 da Lei de Contravenções Penais, no qual estabelece que deixar em liberdade, confiar a guarda a pessoa inexperiente ou não guardar com a devida cautela animal perigoso.

Após tremores no Recôncavo, Usina de Pedra do Cavalo passa por inspeção

Após tremores de terra que ocorreram na região do Recôncavo Baiano neste domingo (30/8), a Usina Hidrelétrica de Pedra do Cavalo, localizada em Cachoeira, passou hoje por uma inspeção adicional na barragem e nos equipamentos de segurança.

Segundo informações da Votorantin Energia, gestora da UHE Pedra do Cavalo, ‘na inspeção visual e nos instrumentos de monitoramento, técnicos da unidade não identificaram nenhuma anormalidade, estando a barragem da UHE Pedra do Cavalo segura’.

A publicação diz ainda que ‘a inspeção foi apenas para tranquilizar a comunidade’, que fica no entorno da barragem de Pedra do Cavalo.

Barragem de Pedra do Cavalo precisam de planos de emergência urgentemente

A Barragem de Pedra do Cavalo fica entre as cidades de Cachoeira e São Félix, no Recôncavo Baiano. A construção da barragem trouxe vantagens e desvantagens para os moradores da região. Uma das vantagens foi o fim das enchentes, principalmente em Cachoeira, e a desvantagem, por exemplo, foi para os moradores ribeirinhos que dependem da pesca e da mariscagem – segundo relatos, espécies aquáticas que existiam antes da construção da barragem não encontram mais. Agora, a maior desvantagem – e essa é de todos os moradores de Cachoeira, São Félix e Maragogipe é o grau de risco que uma barragem pode oferecer, que segundo a Votorantim é muito baixo e o monitoramento é constante.
Mas, uma das ações fundamentais que está faltando para os moradores é um plano de urgência e emergência, caso haja algum incidente com a barragem. As cidades não dispõem de avisos sonoros de alerta, saídas de emergência, pontos de encontro, treinamento para moradores, além da defesa civil cobrindo cada município que pode ser afetado por um rompimento ou liberação urgente de água da Usina Hidrelétrica Pedra do Cavalo.
Moradores de Cachoeira, após o tremor de terra que aconteceu nesta quarta (19/08) e o anúncio do teste de calha, que foi cancelado (veja aqui), começaram a questionar a falta de algum plano de ação para a evacuação dos moradores em caso de necessidade.
Roque Brito, morador de Cachoeira, através das redes sociais solicitou:
“As prefeituras de Cachoeira e a de São Felix, a Votorantim, EMBASA que administram a barragem precisam preparar e organizar os municípios e os munícipes para promover um plano de evacuação em uma situação de emergência com a barragem o mais rápido possível, a saída de todos os ocupantes do nosso município e da cidade vizinha de uma forma organizada em uma emergência podem salvar diversas vidas em uma emergência com a barragem. Essa prevenção não é para provocar pânico nos moradores das cidades e sim ter um plano de emergência se for necessário um dia,” disse.
Fonte: Diário da Notícia

Tremor em Cachoeira? Moradores relatam movimento de terra no Recôncavo Baiano

A terra tremeu na Bahia. Moradores da cidade de Cachoeira, no Recôncavo, relataram que sentiram um tremor de terra no município na noite desta quarta-feira (19). Alguns relatos incluem telhas no chão, móveis balançando e um forte estrondo. Ainda não se sabe o que teria causado o incidente.

Ao CORREIO, o funcionário público Leonardo Marques, 30 anos, compartilhou que ouviu um barulho e, logo em seguida, sentiu o tremor na sua própria casa, que fica no Curiachito, no Centro da cidade. Vários amigos dele também relataram ter ouvido um estrondo e terem sentido tremores no chão. Na famosa Ladeira da Cadeia, moradores relataram que sentiram os tremores com mais intensidade.

“Cheguei em casa entre 18h30 e 18h35 e senti um tremor pequeno, uma zoada, vindo da terra. Minha cristaleira é de vidro e ela deu até uma balançadinha. Fui na porta ver se era um caminhão pesado passando e não era. Depois, minha irmã de Santo me ligou e disse que na casa dela tremeu tudo. Tiveram lugares que foi pior. Na Ladeira da Cadeia mesmo, ela me contou que tremeu tudo. Ela foi pra porta com medo. Depois minha prima me ligou e disse que aconteceu a mesma coisa. Sentiu um tremor e uma zoada, tipo de um impacto”, contou ele, que é coordenador da Retran de Cachoeira.

Alguns minutos depois, ele fez uma publicação no Facebook, por volta das 19h30, comentando o ocorrido e recebeu centenas de curtidas, compartilhametos e relatos. “A Terra tremeu em Cachoeira a poucos instantes. Na Ladeira da Cadeia, teve gente sentindo até os móveis tremer. Vamos ver o que está acontecendo em nossa cidade”, escreveu ele.

“Coloquei no meu Facebook pra alertar. Pra ver se as autoridades competentes falam pra gente o que foi. Está todo mundo com medo, porque aqui tem uma barragem. A Votorantim [que gere a Barragem da Pedra do Cavalo] soltou umas notas dizendo que ia fazer uns testes para abrir as comportas, que ia deferir bastante água e não aconteceu nas datas. E tem acontecido muitas chuvas no Rio Paragaçu. A barragem fica acima do nível da cidade e aí fica todo mundo com medo. Pode ter sido um abalo sísmico, mas as autoridades precisam ver o que realmente aconteceu, porque a cidade toda sentiu. Uns impacto pouco, outros maior, mas todos sentimos. Aí está todo mundo em pânico”, relatou Leonardo.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Votorantim às 22h40 e a empresa informou que os tremores sentidos por moradores não têm a ver com a barragem: “Não é nada na barragem. Na usina está tudo bem. As operações estão todas dentro da normalidade”, informou a assessoria.

A professora Andrea Falcão, 44, também contou que sentiu o chão tremer de forma intensa.”Por volta das 18h30, sentimos como se fosse um impacto muito grande. O chão tremeu de forma intensa”, falou ela, que mora no Centro da cidade. Andrea também recebeu relatos de amigos que moram em diversos bairros de Cachoeira. Só se fala nisso na cidade.

Na publicação de Leonardo, a moradora Bruna Barreto cogitou que o tremor pode estar relacionado a tubulações de gás. “A gente tem que lembrar que aqui embaixo da nossa cidade passam tubulações de gás”, disse. Outros lembraram que existe uma pedreira bem perto da usina. Uma funcionária do setor administrativo da pedreira não quis se identificar, mas garantiu ao CORREIO que não há anormalidades no local. (Confira a matéria completa no Correio 24hrs*)

Comportas da barragem Pedra do Cavalo serão abertas para teste de calha do Rio Paraguaçu

A barragem Pedra do Cavalo, sob a gestão da Votorantim Energia, que fica na BR-101, entre os municípios de Cachoeira e São Felix, no recôncavo baiano, vai abrir as comportas de forma controlada e gradual, no dia 4 de agosto, a partir das 9h, para um teste de calha do Rio Paraguaçu, determinado pelo Inema. A informação foi confirmada ao Metro1.

O teste tem como objetivo verificar se o Rio Paraguaçu continua suportando a vazão de água. De acordo com a Votorantim, é uma “operação regular de controle e segurança do empreendimento que leva ainda mais tranquilidade à população”. Em caso de necessidade, o teste pode ser interrompido a qualquer momento,

A operação vai ser acompanhada pelo Inema, Defesa Civil estadual e outros órgãos e deve durar todo o dia.

“A Votorantim Energia pede que embarcações, quaisquer objetos ou apetrechos de pesca – como redes e gaiolas – sejam retirados dos margens do Rio Paraguaçu, assim como banhistas, pescadores, marisqueiras evitem qualquer ação no dia do teste”, alertou.

Fonte: Metro1

TJ-BA suspende prazos processuais e atividades presenciais em Cachoeira e Sapeaçu

Foto: Divulgação / TJ-BA

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) suspendeu as atividades presenciais e prazos processuais nas Comarcas de Sapeaçu e Cachoeira, no Recôncavo Baiano. A medida tem o objtivo de cumprir o ‘lockdown’ decretado nos municípios contra o novo coronavírus. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (24).

Na cidade de Cachoeira a medida começa a valer no domingo (26) e termina no dia 2 de agosto. Já em Sapeaçu, a suspensão está em vigor desde o dia 22 de julho e vai até terça-feira (28). Segundo o Bahia Notícias, Durante a suspensão, vai ser adotado o regime de teletrabalho para magistrados e servidores das comarcas. Os prazos que vencerem nas datas especificadas serão prorrogados para o primeiro dia útil depois do encerramento da suspensão.





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia