WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

 




(71) 98769-3230

agosto 2020
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Preço dos alimentos acelera após coronavírus, diz IBGE

O preço dos alimentos disparou em março, fechando o mês em alta de 1,13%, contra 0,22% registrado em fevereiro, informou nesta quinta (9) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os aumentos ocorrem em um momento de dificuldades para famílias afetadas pela crise do coronavírus.

Segundo o IBGE, os maiores aumentos se deram em produtos relacionados à alimentação em domicílio, como cenoura (20,39%), cebola (20,31%), tomate (15,74%), batata-inglesa (8,16%) e ovo de galinha (4,67%). No geral, alimentos usados para refeições em casa aumentaram 1,40% no mês.

Foram responsáveis por manter a inflação no terreno positivo, apesar da queda dos preços dos combustíveis e das passagens aéreas. Em março, o IPCA, índice oficial de inflação do país, ficou em 0,07%, contra 0,25% do mês anterior. Foi o menor índice para março desde o Plano Real.

O grupo Alimentos teve impacto de 0,22 ponto percentual na inflação de março. “Os números sugerem que as pessoas estão comprando mais para comer em casa, o que indica que não estão saindo para comer” , disse o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov.

O custo da alimentação em domicílio teve a maior alta desde dezembro de 2019, quando o preço da carne bovina disparou.

Após os primeiros aumentos, supermercados jogaram a responsabilidade nos fornecedores. A Abras (Associação Brasileira dos Supermercados) falou em “elevações injustificadas de preços” e diz hoje trabalhar com a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) para evitar aumentos abusivos.

No Rio, sindicatos ligados aos comerciantes chegaram a divulgar uma “carta de esclarecimento” responsabilizando os produtores por retirar descontos nos preços quando os estoques começaram a cair após aumento na procura no início das medidas de isolamento social.

Economistas afirmam que a elevada procura teve impacto nos primeiros momentos da crise, mas esperam que os preços se ajustem com a normalização da demanda após a corrida aos supermercados no fim de março.

Naquele momento, diz levantamento feito na semana passada pelo economista da FGV (Fundação Getúlio Vargas) Andre Braz, houve aumento em diversos itens da cesta básica, como tomate (13,34%), ovo (9,04%) e batata inglesa (5,20%).

“Além do aumento da demanda, pois todas as refeições estão sendo feitas em residência, houve aumento da estocagem, por receio de que o vírus se propague mais e expanda o período de confinamento social”, analisou o economista André Braz, da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Especialista em preços no atacado, o consultor Carlos Cogo, da Cogo Inteligência em Agronegócios, acha, porém, que a pressão ainda não acabou e que os preços devem subir mais antes de voltar à normalidade. “O varejo assumiu parte da alta até agora, colocando estoques em um valor mais baixo”, diz.

“Quando a reposição vier, ainda veremos novos aumentos. Vai piorar antes de melhorar”, completa. Segundo dados compilados por ele, o preço do feijão no atacado acumula alta de 71,1% em 30 dias, o trigo subiu 13,6% e o arroz, 7,6%. O café tem aumento acumulado de 6,9% no período.

Responsável por garantir a regularidade do abastecimento e por apoiar os produtores, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) diz que alguns aumentos são provocados por questões climáticas, como as chuvas na principal região produtora de cenouras no país.

No caso do feijão, diz o presidente da estatal, Guilherme Bastos, o produto sofre com a alta demanda em um momento de quebra de safra. Já o arroz tem produção muito próxima do consumo, o que ajudou a elevar os preços com o aumento da procura.

“Outros produtos, como frutas e hortaliças, vêm em tendência de baixa, com menor demanda de restaurantes e restrições a feiras livres após o início das medidas de isolamento social. Mas, de maneira geral, as centrais não têm nos reportado nenhuma ruptura no fornecimento.”

Bastos também espera menos pressão sobre os preços nos próximos meses. Dados da Conab apontam, por exemplo, que a proximidade com a segunda safra do feijão já reverteu a curva de alta dos preços em algumas praças na última semana.

Ainda assim, considerando a variação acumulada do ano, o produto já subiu até 60%, no caso do Paraná. Em São Paulo, o aumento acumulado é de 52%.

Procurada, a Abia (Associação Brasileira da Indústria do Alimento) disse em nota apenas que não discute preços, “uma vez que as negociações entre as empresas do setor e as cadeias de varejo contextualizam-se em um cenário de livre mercado”.

Na ponta negativa da inflação de março, todos os combustíveis apresentaram retração: etanol (-2,82%), óleo diesel (-2,55%), gasolina (-1,75%) e gás veicular (-0,78%). As passagens aéreas também tiveram queda, de 16,75%. Assim, o grupo Transportes caiu 0,90%.

No acumulado do ano, o IPCA soma 0,53%. Em 12 meses, 3,30%, abaixo da meta estabelecida pelo governo, de 4%.

Na semana passada, economistas ouvidos pelo relatório Focus, do Banco Central, reduziram para 2,72% a projeção do IPCA para o ano, diante da expectativa de fortes impactos econômicos da crise gerada pela pandemia do coronavírus. A estimativa anterior era de 2,94%. Fonte: Bahia Notícias

Rui Costa anuncia aplicativo para monitorar avanço do Coronavírus na Bahia

Foto: Camila Souza_GOVBAO governador Rui Costa anunciou na manhã desta quinta-feira (9) o aplicativo “Monitora”, que possibilitará o registro de informações de pessoas com suspeita da Covid-19, viabilizando o atendimento remoto, monitoramento e acompanhamento dos cidadãos.

O aplicativo está disponível gratuitamente na plataforma android, sendo, posteriormente, disponibilizado para iOS. Para localizá-lo, é preciso fazer a busca digitando “monitoracorona”, com as duas palavras juntas, e fazer a seleção do aplicativo “Monitora Covid-19”, de cor azul, de autoria do “Governo da Bahia”, ou acessar diretamente este link aqui.

Divulgação

Em transmissão ao vivo, Rui pediu que todos baixem a ferramenta e ressaltou a importância de permitir que o aplicativo tenha acesso à localização dos usuários. “Vamos monitorar, em toda a Bahia e os outros estados do Nordeste vão fazer o mesmo, onde estão os casos suspeitos e quem apresenta sintomas”, disse o gestor.

Rui ainda citou que quer tirar dúvidas pelo aplicativo sobre a doença e as medidas tomadas pelo governo para combater o novo coronavírus. “Nós queremos georeferenciar os casos na Bahia e em Salvador. Saber em que bairro ou em que cidade estão aparecendo mais casos, de modo a ter uma demonstração visual da realidade da doença em todo o território estadual”, explicou o governador”, falou.

Por meio do aplicativo, desenvolvido pelas secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e Saúde (Sesab), em parceria com a FESF-SUS, o internauta poderá acessar informação, segura e de qualidade, e ter o acompanhamento do seu estado de saúde. Além disso, serão solicitadas informações sobre a sua saúde e, caso seja identificado o risco, um médico entrará em contato em até 24 horas, pelo celular, orientando as medidas para o autocuidado, que devem ser adotadas no próprio domicílio, evitando que o paciente se dirija a uma unidade de saúde e se exponha sem que haja a real necessidade. Caso seja indicado, o médico informará qual o serviço de referência mais próximo.

O app foi programado para dar orientações e cuidados imediatos. O cidadão passará a ser monitorado em casa pelo aplicativo.  O acesso à tecnologia é realizado por meio de um cadastro simples (nome, CPF, nome da mãe e número do cartão SUS). O App possibilitará, também, acesso rápido a informações sobre a Covid-19, orientações sobre o isolamento social, serviços de saúde próximos e o acompanhamento do estado de saúde do paciente, além de um “converse conosco”.

A secretária da Secti, Adélia Pinheiro, que é médica por formação, destaca a importância de serviços como o aplicativo. “Com o Monitora, avançamos na missão de atender o cidadão dentro da sua própria casa. Assim também é o Tele Coronavírus, que lançamos para atender qualquer pessoa que tenha dúvida sobre a Covid-19, gratuitamente, pelo número 155. Essas são ações preventivas que auxiliam a população no diagnóstico, indicando quais medidas tomar na hipótese do aparecimento de sintomas da doença”.

De acordo com o secretário de Saúde, Fábio Vilas Boas, o Governo do Estado tem trabalhado incansavelmente para proteger o bem mais precioso do cidadão, que é a vida. “Além da ampliação do número de leitos, aumentando a capacidade da nossa rede, da aquisição de equipamentos essenciais para o trabalho dos profissionais de saúde e de tantas outras ações, o Governo se preocupa em atender o cidadão de forma a evitar aglomerações. O ‘Monitora’ coloca o cidadão em contato direto com um profissional, o qual vai indicar se é necessário, naquele momento, procurar uma unidade de saúde”, ressalta.

Desenvolvedora do aplicativo através da FESF-tech, a Fundação Estatal Saúde da Família (FESF) é parte primordial nesse processo de auxílio ao cidadão. “A FESF é uma instituição, criada pelo SUS e para o SUS da Bahia, que tem como missão institucional produzir soluções inovadoras, que promovam qualidade e eficiência para o sistema da saúde. Ações como esta aproximam a FESF do cumprimento de seu papel social”, destacou o secretário executivo, José Santana.

MONITORA
A tecnologia do app está articulada ao Registro Eletrônico de Saúde e possibilita à equipe de monitoramento e à gestão do SUS um painel de controle que permitirá visualizar o tempo de quarentena que cada paciente está seguindo, dentre outras informações que servirão de base para tomada de decisões em saúde pública e de atendimento.

Efeito coronavírus: Castro Alves cancela festa de São João 2020

A prefeitura de Castro Alves, localizada no recôncavo baiano a 190 km da capital, anunciou nesta  quinta-feira (09) que a festa de São João 2020 da cidade está cancelada. A medida foi tomada devido a pandemia do coronavírus.
Além do Arraiá do poeta a comemoração do aniversário da cidade que acontece no dia 26 de junho. Outro evento cancelado foi a Copa do Poeta, competição de futebol que envolve equipes da zona rural do município.
A prefeitura afirma que o cancelamento segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).
Outras cidade também foram canceladas: Sapeaçu, Conceição do Almeida, Amargosa, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Elísio Medrado, Cachoeira, Itaberaba, Senhor do Bonfim, Irecê, Seabra, Miguel Calmon, Euclides da Cunha, Jequié, Piritiba e Ibicuí cancelarão os festejos de São João e São Pedro deste ano em razão da crise do novo coronavírus.

O cancelamento de festas de São João, acarretado pelas restrições do combate à pandemia do novo coronavírus, vai causar impato de 23% nas vendas do varejo, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-BA). Os segmentos mais afetados, conforme a entidade, são supermercados e vestuário (roupas, calçados, acessórios, entre outros).

“Embora os valores do comércio varejista do estado da Bahia apontem os meses de junho e julho como relativamente fracos ao longo do ano, as festividades têm uma importância muito grande, principalmente, para cidades do interior”, esclarece Guilherme Dietze, consultor econômico da Federação.

O economista alerta ainda para o impacto negativo no turismo. “As cidades deixarão de receber os turistas. Esses que deixarão de viajar, de se hospedar em pousadas e hotéis, de fazer suas refeições em bares e restaurantes, de comprar o artesanato local, ou seja, de fazer circular a economia, o dinheiro e o emprego, especialmente no interior”, diz.

Live Ao Vivo com Marília Mendonça – #LiveLocalMariliaMendonca

SMS em parceria com a PM vai realizar barreiras nas entradas de Santa Terezinha

A Secretaria Municipal de Saúde com o apoio da Polícia Militar vai realizar nesta quinta-feira (09),  ação preventiva com bloqueios nas entradas da cidade de Santa Terezinha, na Região Piemonte do Paraguaçu, em virtude da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). A medida visa fiscalizar a entrada de todas pessoas na cidade.

Com a proximidade do feriado da Páscoa familiares de outras cidades tendem a visitar os parentes e amigos em Santa Terezinha. Até o momento não há nenhum caso confirmado do coronavírus no município.

Na Bahia, até momento, está registrado 462 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19), e houve 15 óbitos. Ao todo, 106 pessoas estão recuperadas e 51 encontram-se internadas, sendo 29 em UTI.

Fonte: Ascom/Santa Terezinha



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia