(Camila Souza/ GOVBA)

Eventos com até 100 pessoas podem voltar a acontecer na Bahia, após alteração publicada nesta quarta-feira (2) no Diário Oficial da Bahia, que modificou um decreto de março sobre o tema.

No decreto de 27 de março deste ano, o nono artigo determinava a suspensão em toda a Bahia, até 13 de setembro, de eventos e atividades com presença de público superior a 50 pessoas, “tais como: eventos desportivos, religiosos, shows, feiras, circos, eventos científicos, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica”. A alteração determinada hoje dobrou este número.

O mesmo artigo determinava em outros incisos suspensão das atividades letivas, funcionamento de zoológicos, museus e teatros, o que segue inalterado.

“Faz parte desse processo nosso de paulatinamente ir flexibilizando. O decreto anterior era de 50 pessoas. Como estamos numa fase de ir dando passo a passo, ir liberando atividades, resolvemos subir um pouco para ir monitorando e liberando paulatinamente. Vamos fazendo isso progressivamente. Com o passar dos dias, das semanas, vamos avaliando”, afirmou o governador Rui Costa nesta manhã, durante evento de entrega da reforma de uma unidade de emergência em Pirajá.

O governador destacou que os números da covid-19 são descendentes na Bahia. “O número de óbitos era para estar ainda mais baixo, mas estamos tendo que lançar diariamente números que não foram lançados na data correta por diversos municípios”, afirmou. “Estão aparecendo casos antigos e a gente tem que divulgar, naturalmente. Se não fosse esse represamento, nós hoje estaríamos na faixa de 30 óbitos diários”, disse, afirmando que ainda é um número alto e que as pessoas devem continuar mantendo todos os cuidados.

O secretário de Saúde, Fábio Vilas Boas, também falou da decisão de permitir eventos com mais pessoas. “O que é explica é o fato de aqui na região Leste, principalmente, ter havido uma redução da taxa de transmissão para em torno e baixo de 1%. Isso permite que a gente comece a permitir alguns tipo de reuniões, desde que respeite as regras de distanciamento, de afastamento das pessoas uma das outras”, afirmou.

Fonte: Correio24hrs*