Foto: Divulgação

A cantora Margarerth Menezes vai homenagear Gilberto Gil e Caetano Veloso em uma live no dia 1º de agoto. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as lives foram a foram encontrada pelos artistas de se aproximar do público, mesmo que virtualmente.

Com transmissão pelo canal do YouTube de Margareth, a live da artista baiana vai começar às 20h. A cantora vai apresentar uma versão atualizada do projeto “Para Gil e Caetano!”, que reúne apenas canções da trajetória da carreira de Caetano e Gil, que influenciaram muito na carreira dela.

Margaretrh gravou um DVD, em 2015, em homenagem aos 50 anos de carreira destes dois ícones da música brasileira.

Com a live Para Gil e Caetano, Margareth volta abrir as portas da casa dela, em Salvador, cenário também da apresentação “Autêntica”, inspirada no último disco da artista, e tema da primeira live. Desta vez, a cantora vai contar com a participação de Alexandre Leão (vocal e violão), Théo Silva (guitarra) e Gutto Messias e Daniela Penna (percussão).

Durante a live, as Obras Sociais Irmã Dulce – OSID, poderão receber doações de qualquer valor através de QR Code na tela.

A cantora vai apresentar um repertório com 24 músicas, divididas em 12 de cada homenageado. Entre as escolhidas, destaque para “O Quereres”, “Reconvexo”, “Eu vim da Bahia”, “Refazenda”, “Luz do Sol”, “Tempo Rei” e “Vamos Fugir”.

Admiração por Caetano e Gil

Apaixonada por Gilberto Gil e Caetano Veloso, a cantora não esquece nunca o primeiro encontro com os dois. “A primeira vez que vi Gil foi na adolescência, em um Carnaval. Lembro que ele estava descendo a Ladeira do Carmo e pedi um beijo”. Já com Caetano, foi na inauguração do circo Troca de Segredos. “Foi a primeira vez que o vi, assim chegando todo um pouco tímido e acompanhado do filho Moreno, com três anos, pegou o violão e fez um lindo show. Foi um presente muito importante para nós que fazíamos parte daquela equipe do circo”, contou.

Margareth teve a oportunidade de dividir o microfone com os dois em inúmeros trabalhos musicais, inclusive na gravação do DVD e CD Para Gil e Caetano, em 2015, que contou com a participação deles, além de Preta Gil, Bem Gil, Moreno Veloso, Rosa Passos e Saulo.

“Toda a minha geração foi influenciada por eles, não tem como fugir disso. A geração deles foi muito importante. Eles, junto com Rita Lee, Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Djavan, Clara Nunes, A Cor do Som, Fagner, Raul Seixas, Luís Melodia, Novos Baianos e Belchior, nos influenciara e nos fizeram perceber que podemos fazer coisas novas sem precisar abrir mão da nossa brasilidade”, afirmou.

Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.