Casos de recebimento irregular de auxílio emergencial têm chamado a atenção. Em Castro Alves, no Recôncavo, dois filhos do ex-prefeito Clóvis Oliveira aparecem na lista. Cloves Rocha Oliveira Junior consta na de abril, e Diego Santos Oliveira, na de maio. Quanto ao primeiro, a informação é que a quantia de R$ 600 está retida. Já no caso de Diego não há restrição para o recebimento da mesma quantia.

Segundo apurou o Bahia Notícias, os dois filhos do ex-prefeito são empresários com renda que não permitiria o benefício. A exigência é que a pessoa tenha família com renda mensal por pessoa até R$ 522,50, ou com renda total de até três salários mínimos [R$ 3.135]. Além dos dois citados, há indícios de que uma empresária da cidade, de nome Lucivana Santana Rodrigues, esposa do pré-candidato a prefeito das últimas eleições de 2016 Gleison Campo.  também tenha recebido R$ 600 em abril.

Um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou que 39.636 pessoas na Bahia receberam o auxílio emergencial de forma irregular. Destes, 1.358 foram destinado a “mortos”. O prejuízo foi calculado em R$ 26,4 milhões.

O ex-prefeito, teve as contas rejeitadas pela Câmara de Vereadores. Com isso, o ex-gestor fica inelegível por oito anos.