WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

 



(71) 98769-3230

Maio 2020
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

:: 18/Maio/2020 . 23:59

“Tranca Rua”: entenda por quê a tradução de ‘lockdown’ fortalece a intolerância religiosa

Assim que o “lockdown” começou a ser adotado, significando o fechamento de todo o comércio considerado não essencial, diversas brincadeiras surgiram nas redes sociais utilizando como tradução o termo religioso “Tranca Rua”. Alguns publicações, porém, foram consideradas como ofensa ao povo da Umbanda.

“Tranca Rua” é o nome de uma entidade espiritual  – um Exu  – que os adeptos da religião Umbandista acreditam ser o responsável por abrir e fechar caminhos. Segundo uma pesquisa do Instituto Datafolha, pelo menos 2% dos brasileiros tem a Umbanda, Candomblé ou demais religiões afro-brasileiras como crença oficial. Na Bahia, somando essas religiões, são mais de 45 mil adeptos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Diante da banalização do termo religioso, a discussão sobre a tradução do lockdown ganhou bandeiras de ‘a favor’, ‘contra’ ou ‘indiferente’ na rede social. A Psicóloga Comportamental pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) e umbandista, Samanta Cavalcanti, explica que fazer pouco caso de figuras respeitadas em crenças, além de ser culturalmente errado, é uma porta para fortalecer a intolerância religiosa no Brasil.

“As pessoas que desconhecem as matrizes africanas e seus desdobramentos já possuem um certo receio ao lidar com a realidade dessas crenças, sobretudo ao ouvir a palavra ‘Exu’. A falta de conhecimento religioso provoca o desrespeito e fomenta a intolerância religiosa já presente no país. Ao banalizar termos críveis de uma religião, como no caso do Tranca Rua, estamos assumindo que ela não tem valor em um nação laica”, explica. 

Somente no primeiro semestre do ano passado, o número de denúncias de intolerância religiosa subiu cerca de 56%, com predominância nas crenças da matriz africana, seguidas pela religião espírita, de acordo com dados do Disque 100 — Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

A psicóloga também atenta para o preconceito velado ao termo “Exu”, devido ao desconhecimento e “demonização” da matriz afro-brasileira. “O preconceito, em razão da ignorância, leva ao medo e o ataque dos que desconhecem as entidades religiosas. Não somente isso, o medo de Exu vem da exposição do nosso caráter, com as maldades e fragilidades inclusas. Isso acontece porque um Exu consegue desnudar uma pessoa de suas proteções, olhando no interior de cada um o que há de melhor e pior. O que não levamos em consideração, é que o autoconhecimento liberta nossas couraças e nos tornam livres para recomeçar”, elucida. Fonte: Aratu Online

Bahia registra 17 mortes por covid-19 em 24h e total sobe para 312

Foto: Leonardo Rattes/Ascom Sesab

A Bahia registrou mais 17 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas e alcançou o total de 312 fatalidades por causa da doença. Os números foram atualizados pelo governador Rui Costa durante live nas redes sociais no fim da tarde desta segunda-feira (18). No boletim anterior publicado pela Secretaria da Saúde (Sesab), no domingo (17), o estado tinha 295 óbitos, o que representa um aumento de 5,76% entre os dois dias.

Há 8.881 diagnósticos do novo coronavírus na Bahia. São 438 infectados a mais que o levantamento da véspera, quando eram 8.443 contaminados (5,18%). Seis cidades tiveram suas primeiras confirmações: Caém, Teofilândia, Piritiba, Cardeal da Silva, Mutuípe e Urandi.

De acordo com Rui, 6.162 casos são ativos – ou seja, os pacientes ainda apresentam os sintomas da doença e seguem monitorados pela vigilância epidemiológica. Já outras 2.407 pessoas são consideradas curadas.

Segundo a Sesab, porém, 300 dos 8.881 casos confirmados aguardam reconhecimento dos municípios e não foram incluídos na análise do boletim. Assim, os dados apresentados nesta segunda (18) consideram apenas os 8.581 infectados já com definição das cidades. (Confira a matéria completa no Correio24hrs*)

Bolsonaro se nega a entregar exames de Covid à Câmara dos Deputados

(Foto: ABr)

O ministro chefe da secretário-geral do governo Bolsonaro, Jorge Oliveira, enviou uma nota à Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (18) negando a solicitação do deputado federal Rogério Correia (PT-MG) sobre a disponibilização dos exames do presidente.

Segundo Oliveira, os documentos são da esfera íntima do presidente e que não cabe enviá-los a “terceiros”. Além disso, ele alega que os exames já estão disponíveis em razão de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com a Revista Fórum, O pedido de entrega dos exames foi feito pela Mesa da Câmara após solicitação de Correia, no dia 17 de abril. A resposta veio no limite do prazo de 30 dias.

Brasileiros na extrema-pobreza aumentaram em 170 mil sob Bolsonaro

Foto: Reuters/Ueslei Marcelino

O número de pessoas em pobreza extrema no Brasil, que são os que vivem com menos de 1,9 dólar por dia, aumento 170 mil em 2019, ano que encerrou com 13,8 milhões nesta situação – cerca de 6,7% da população do país. Os dados são da Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílio (PNAD) do IBGE. Com ás informações do site Brasil247.

TRF-3 rejeita denúncia da Lava Jato contra Lula por unanimidade

Divulgação

O TRF-3 rejeitou nesta segunda-feira (18), por unanimidade, denúncia por parte da força-tarefa da Lava Jato de São Paulo contra o ex-presidente Lula e seu irmão Frei Chico.  A audiência foi realizada por videoconferência.

O irmão de Lula, Frei Chico, era apontado como beneficiário de “mesada” da Odebrecht. Os desembargadores da 5ª Turma decidiram que não há elementos para abertura de uma ação penal relativa a esse fato.

Em nota, a defesa de Lula afirmou que a decisão do Tribunal é pedagógica. “A decisão do TRF3 prestigia o devido processo legal e reforça a inocência de Lula e excepcionalidade dos processos contra o ex-presidente conduzidos a partir da 13º Vara Federal de Curitiba”.

Veja a nota do advogado Cristiano Zanin Martins sobre a decisão:

“É pedagógica a decisão proferida hoje (18/05) pelo TRF3 que, tal como havia decidido o juiz de primeiro grau, rejeitou sumariamente, por ausência de suporte probatório mínimo, uma acusação absurda contra ao ex-presidente Lula feita pela Força Tarefa da Lava Jato de São Paulo (Recurso em Sentido Estrito nº 0008455-20.2017.4.03.6181/SP).

A imaginária acusação da Lava Jato buscava o processamento de uma ação penal contra Lula sob a alegação de que seu irmão, Frei Chico, teria recebido valores da Odebrecht como suposta contrapartida “obter benefícios junto ao novo mandatário do Poder Executivo Federal”.

O juiz de primeiro grau já havia rejeitado de plano a acusação, que segue o padrão da Lava Jato contra Lula, baseado exclusivamente na palavra de delatores, afirmando que: “Não seria preciso ter aguçado senso de justiça, bastando de um pouco de bom senso para perceber que a acusação está lastreada em interpretações e um amontoado de suposições”.

A decisão do TRF3 prestigia o devido processo legal, reforça a inocência de Lula e a excepcionalidade dos processos contra o ex-presidente conduzidos a partir da 13º Vara Federal de Curitiba. É mais uma vitória de Lula na Justiça que mostra a necessidade de ser julgado o Habeas Corpus que aponta a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro e a declaração da nulidade de todos os processos que ele tenha atuado contra Lula.



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia