Tag Archives: Irmã Dulce

Marcia Fellipe diz ter superado polêmica sobre irmã Dulce

Para a cantora Marcia Fellipe o ano de 2019 foi tempo de colher os frutos de todo seu trabalho. Um desses frutos é poder participar do WS on Board, o Cruzeiro do Wesley Safadão, que saiu o porto de Santos neste sábado (23).

Pouco antes de subir no palco, ela ainda falou sobre seus planos para o Carnaval, e afirmou que já superou as críticas que sofreu nas redes sociais, após seu comentário sobre a canonização da Irmã Dulce.

“É muito bacana participar de um evento como esse, de poder cantar pra cada brasileiro, para pessoas que vêm de cada pedacinho do nosso país. E um cruzeiro é muito diferenciado, porque todo mundo que vem, vem para se jogar mesmo”, afirma a artista, que se apresentou na noite de sábado no WS on Board, no mesmo palco de Aldair Playboy e Bell Marques.

Fellipe enfrentou uma polêmica recente, e alguns internautas chegaram a pedir que o show dela fosse cancelado em alguns eventos, como o da Festa da Luz, na Paraíba, programada para janeiro de 2020.

Na sua página do Instagram, a cantora afirmou que não seria certo considerar um ser humano santo, em referência a canonização da brasileira Irmã Dulce pelo Vaticano: “Ajudar o próximo, sim! Mas não faz nenhum ser humano ser ‘santo’. Santo só o senhor Jesus Cristo. Não se deixem enganar (leiam a Bíblia). ‘E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará’. João 8:32”, publicou.

Para a cantora, quando se fala algo na internet, é preciso estar disposto a ouvir todo o tipo de reação. “Sou ser humano e tenho o direito de falar minha opinião, mas não quis ofender a fé de ninguém. Jesus disse que a gente não tem que ter vergonha de falar sobre o que leu no evangelho. Somos um país laico e todo o mundo tem o direito de pensar e ter a sua opinião”, afirmou a cantora.

O Carnaval já está também nos planos de Fellipe, que vai apostar na música “Cruz Quero”, parceria com MC Don Juan. “É uma música que conta uma história bonita de alguém que quer um compromisso, mas não deixa tão claro assim”, explica ela. “Terão mais novidades, unindo músicas novas e tudo o que já gravei como ‘O Retorno’, que faz uma retrospectiva de todos os sucessos de minha carreira”, afirma Fellipe.

SAFADÃO
O WS On Board saiu do porto de Santos neste sábado (23), passou por Búzios e Ilha Grande, no Rio de Janeiro, e a partir desta segunda começa a voltar para Santos. Safadão embarcou em Búzios para o show deste domingo (24). Devido a apertada agenda de shows, o cantor não conseguirá passar o tempo todo no navio.

No ano passado, o artista cantou mais de seis horas seguidas, e, desta vez, também promete cantar até aguentar. Fãs tentaram ficar próximos às principais entradas do navio para poder ver Safadão de perto.

O cruzeiro, que está enfrentando mau tempo e chuva, está testando os limites dos passageiros com muito balanço. Ninguém pode descer em Búzios, onde os turistas imaginaram passar o dia. O navio saiu de Santos lotado. A embarcação tem capacidade para 4.353 passageiros em 1.6378 cabines.

A ideia do Cruzeiro WS on Board surgiu em 2015 durante show de Wesley Safadão em Brasília. De lá para cá, o cantor foi buscando parcerias e consolidando sua carreira solo, que começou em 2014, após deixar a banda Garota Safada.

(BNews)

Castro Alves vai ganhar um memorial de Irmã Dulce

O município de Castro Alves, no Recôncavo da Bahia, vai abrigar um memorial de Irmã Dulce. A previsão é que o espaço seja inaugurado em 2020. A beata será canonizada no próximo domingo (13), no Vaticano. A ideia do memorial, com capacidade para 200 pessoas, partiu do empresário Ivan Leão, devoto da freira, que doou o primeiro túmulo da beata, que fica no santuário da futura santa, em Salvador.

 

Segundo a TV Bahia, o túmulo onde o corpo de Irmã Dulce ficou nos últimos 10 anos vai ser transferido para Castro Alves e ficará no memorial. Leão afirmou que a construção do espaço é uma forma de ele presentear a cidade natal dele. O município tem apenas uma igreja católica.

Confira a reportagem completa que no BATV- Rede Bahia

 

Papa será presenteado com parte de corpo de Irmã Dulce durante cerimônia no Vaticano

O Papa Francisco será presenteado com uma parte do corpo de Irmã Dulce, durante a cerimônia de canonização da futura santa, no Vaticano, no dia 13 de outubro.

Segundo informações da Arquidiocese de Salvador, os restos mortais serão entregues em um relicário acompanhado de uma pedra ametista, que terá formato de coração. A arquidiocese não informou qual parte do corpo será entregue.

De acordo com a instituição, o ato é uma prática comum no catolicismo. Em 2019, o Papa Francisco doou um relicário com pedaços de ossos de São Pedro ao Patriarca Ecumênico de Constantinopla Bartolomeu I.

A Arquidiocese de Salvador informou que os relicários têm uma importância espiritual e religiosa para os fiéis.

A canonização de Irmã Dulce será a terceira mais rápida da história (27 anos após seu falecimento), atrás apenas da santificação de Madre Teresa de Calcutá (19 anos após o falecimento da religiosa) e do Papa João Paulo II (9 anos após sua morte).

Irmã Dulce teve a canonização marcada após o Vaticano reconhecer dois milagres atribuídos a ela. O primeiro foi reconhecido em outubro de 2010, quando Irmã Dulce foi beatificada. O segundo foi reconhecido em maio deste ano.

Os dois casos estão entre os três que eram analisados no Vaticano. Os relatos de milagre foram enviados pelas Obras Sociais Irmã Dulce, em 2014, após avaliação de profissionais da própria instituição, reunindo mais de 10 mil casos na sede da instituição, em Salvador.

Fonte: G1

Antigo túmulo de Irmã Dulce será remontado em santuário em Castro Alves

Há duas semanas, o túmulo de granito que protegeu o corpo de Irmã Dulce por nove anos seguiu viagem para Castro Alves, no Recôncavo Baiano. A estrutura de aproximadamente três toneladas, transportada por um caminhão, será remontada em um novo santuário dedicado à religiosa, que deve ser aberto ao público até fevereiro do próximo ano. 

Irmã Dulce será canonizada no próximo dia 13 de outubro, quando passará a se chamar Santa Dulce dos Pobres. 

O túmulo começou a ser desmontado no último dia 16 de agosto, quando iniciaram as intervenções dentro da Capela das Relíquias, no Largo da Roma. O local, fechado desde então para visitação, foi entregue nessa quarta-feira (18), com a exibição do efinge da santa – representação da imagem de uma pessoa, envolta por uma urna de vidro. O túmulo antigo foi doado em 2010 por Ivan Leão, nativo de Castro Alves e conselheiro das Obras Sociais Irmã Dulce.

 

Depois das mudanças, que incluíram a substituição por um novo túmulo, a instituição decidiu devolver a estrutura antiga ao conselheiro, que desejava realizar uma homenagem a Irmã Dulce na sua cidade natal. Até a abertura, a nova morada do túmulo é mantida em sigilo. 

“Está guardado em sigilo, até para não ter peregrinação. Explicaremos tudo quando ficar pronta a capela”, explicou Ivan ao CORREIO, por telefone. 

 

O conselheiro evitou detalhar o processo de concepção e realização do espaço, mas afirmou que, por se tratar de uma santa, o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, autorizou a transferência.

Dulce estava abrigada no túmulo desde 2011, quando houve a primeira exumação do corpo e sua transferência da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia para a Capela anexada à OSID, no Largo de Roma. 

 
Efinge de Irmã Dulce está aberto para visitação (Foto: Betto Jr/CORREIO)

Mudança de planos
O CORREIO também conversou com Dom Murilo Krieger sobre a decisão de não deixar exposto o corpo de Irmã Dulce, e sim uma representação apenas. O arcebispo afirmou que os restos mortais estão guardados numa caixa de acrílico, lacrada, logo abaixo do efinge. 

 

Por e-mail, ele afirmou que “não é comum deixar os restos mortais visíveis”. “Não tive nenhuma participação nesse processo, apenas concordei, porque julguei que a ideia era interessante. Ao ver a efígie, o povo se recordará daquela que, viva, percorria as ruas de nossa cidade, fazendo o bem”, frisou. 

No mês passado, o frei Giovanni Messias, reitor do Santuário, afirmou em entrevista ao CORREIO, que o corpo ficaria exposto depois de passar por retoques. Ele afirmou que tanto o legista quanto o postulador do Vaticano ficaram perplexos ao constatar a preservação dos restos mortais, assim como da primeira vez em que o túmulo foi aberto, em 2010. 

 

Corpo de Irmã Dulce foi exposto em 2010 (Foto: Antônio Queiroz/Arquivo CORREIO)

As Obras Sociais Irmã Dulce informaram da decisão de não mais expô-lo somente após a entrega: “O frei que deu entrevista para o CORREIO achou que o corpo estava intacto ou tão conservado quanto em 2010, mas, quando foi aberto, verificou-se que estava com um desgaste natural. Por conta disso, houve uma decisão do Vaticano de não expor”.

 

 

 

Fonte e Fotos: Correio24hrs/Bahia10

Governo da Bahia decreta 13 de outubro como Dia de Irmã Dulce no estado

O Governo da Bahia decretou o 13 de outubro como dia de celebração à Irmã Dulce no estado. De acordo com a decisão, que foi publicada na terça-feira (3) no Diário Oficial, a data ficará conhecida na Bahia como Dia da Santa Irmã Dulce dos Pobres, porém, não vai ser feriado. 

O 13 de outubro foi escolhido por ser o dia em que a beata será canonizada. Regida pelo Papa Francisco, a celebração será realizada no mês que vem, no Vaticano, em Roma. Na Igreja Católica, Irmã Dulce continuará sendo celebrada em 13 de agosto, dia em que ela se tornou freira.

A beata é a primeira mulher nascida no Brasil que se tornará santa. A freira, que teve uma vida marcada por fé e caridade, se tornará a Santa Dulce dos Pobres.

Três graças alcançadas por devotos, após orações a Irmã Dulce, estavam sendo analisadas pelo Vaticano, com vista no processo de canonização da religiosa. Esses três casos foram enviados ao Vaticano pelas Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), em 2014, após análise de profissionais da própria instituição.

 

O primeiro milagre foi reconhecido em outubro de 2010, quando Irmã Dulce foi beatificada. Depois disso, iniciou-se o processo para buscar a canonização, quando a pessoa passa a ser considerada santa pela Igreja Católica.

O Vaticano anunciou a canonização da freira em maio deste ano, quando um segundo milagre atribuído à religiosa, também conhecida como “O Anjo bom da Bahia”, foi reconhecido por meio de decreto.

A canonização de Irmã Dulce será a terceira mais rápida da história (27 anos após seu falecimento), atrás apenas da santificação de Madre Teresa de Calcutá (19 anos após o falecimento da religiosa) e do Papa João Paulo II (9 anos após sua morte).

 

O caminho para se tornar santo  — Foto: Arte/ G1O caminho para se tornar santo  — Foto: Arte/ G1

Fonte: G1 — Foto: Arte/ G1